“Boring words” – Palavras chatas 

Pergunta: alguma vez você já começou a escrever um texto e as palavras pareciam faltar? Você ficou ali procurando sinônimos, palavras diferentes, mas elas simplesmente não vinham à mente? Pois é! Acontece com todo mundo! #Relax Nossa dica de hoje pode ajudar! 😉

Editamos uma imagem com sugestões de palavras que você pode usar para substituir “pretty” e “smart”, consideradas por alguns como “boring words”, ou seja, “palavras chatas”. Sim, chatas! Sabem por quê? Porque, em geral, são MUITO utilizadas e deixam o texto repetitivo, chato de ler mesmo. 

Ou seja, não seria mais interessante utilizar outras palavras – sinônimas – e que não alteram o que você realmente quer dizer? Faz sentido, não é? Olhem o exemplo abaixo: 

“Denise is a very INTELLIGENT student, but she shows how WITTY she is without being stuck-up. She’s always helping her friends in a humble way. She’s really BRILLIANT!”

Vale então ressaltar: a utilização de sinônimos em textos, em qualquer língua, é bastante positiva, pois evita que seu texto fique repetitivo e chato de ler. O texto ficará mais fluido, o leitor terá uma leitura mais dinâmica e provavelmente, mais prazerosa, e seu professor ficará bem contente com seu nível de vocabulário e pesquisa. 

Gostou da dica? Compartilhe com aquele colega que você acha que também vai gostar! 😉
See you guys, later!

Alexandra S. Andrade. 

Revisão #EquipePalavrasNossas

Anúncios

A COLD DAY IN HELL

Já ouviu falar da expressão em português “Só no Dia de São Nunca”? E tem outras! Que tal “Quando galinha criar dentes” ou “Quando porcos voarem”? Pois é! Em geral, quando essas expressões são usadas, queremos dizer que algo NUNCA VAI ACONTECER, certo? Não há a menor chance!

Também há algumas expressões em inglês que são equivalentes a essas citadas acima. Vejamos algumas: 

A COLD DAY IN HELL, ao pé da letra, significa “um dia frio no inferno”. Como em geral, o inferno foi criado em nosso imaginário como um local quente e escaldante, tal acontecimento nunca seria suscetível de acontecer. 

No exemplo da figura acima, Jack é uma pessoa tão chata, que receberá uma ligação de volta (após provavelmente já ter ligado várias vezes para a pessoa que fala) NO DIA DE SÃO NUNCA. Ou seja, ela nunca retornará as ligações dele.

A COLD DAY IN HELL assemelha-se bastante à outra expressão também muito usada em inglês: WHEN PIGS FLY, em português, “quando porcos voarem” ou “quando porcos criarem asas”. Tudo dependerá da região e da escolha feita pelo tradutor. Há quem também traduza tal expressão para “quando galinha criar dentes”. 

Bom, no final das contas, todas apresentam a mesma ideia: ALGO QUE NUNCA ACONTECERÁ. Na hora hora de usa-las, tanto em inglês como em português, caberá a você (falante e/ou tradutor) escolher a que você se identifica mais em usar. 

A gente aqui do #PalavrasNossas gosta bastante de A COLD DAY IN HELL. E vocês por aí? 😉

See you all, alligators!

Alexandra Simões Andrade. 

(Revisão Equipe #PalavrasNossas)

New book from IATEFL Research SIG

Everything that regards Teachers’ Research and quality of life in the language classroom needs to be shared. Hope you enjoy it as much as I did!

The International Festival of Teacher-Research in ELT

Screen Shot 2017-06-21 at 00.21.46IATEFL Research SIG (ReSIG for short) has just published a freely downloadable book called Developing Insights into Teacher-research. The book was launched at the recent ‘Teachers Research! Istanbul 2017’ conference and consists of an introduction and twelve chapters. A unique feature of the book is that the first six chapters are about mentoring teacher-research, which is an area that hasn’t been written about very much before. The remaining six are reports of teacher-research. All of the chapters arose from poster presentations given at last year’s conference in Istanbul.

The book has been edited by Anne Burns, who’s been a speaker at all three ReSIG Teachers Research! conferences so far; Kenan Dikilitas, who’s been the main organizer; Richard Smith, former coordinator of ReSIG who’s been closely involved in organizing the conferences with Kenan, and Mark Wyatt, who’s also on the organizing committee and is the editor of the SIG’s regular…

Ver o post original 408 mais palavras