Dica de inglês: ARE YOU GAME? 😉

Você certamente já ouviu a palavra GAME em algum lugar, certo? Sim! GAME significa JOGO. Em geral, quando falamos em GAME, nos referimos àquelas atividades ou esportes em que pessoas competem umas com as outras de acordo com determinadas regras. Porém, como você já deve ter percebido, em inglês (em português também!), uma palavra pode ter mais de um significado atribuído à ela. Há um significado geral e mais utilizado, que costuma ser chamado de “significado primário” (geralmente a primeira definição encontrada no dicionário ao se buscar a palavra), e os significados secundários (que são todos os que vêm após o significado primário).

Muitas vezes, em língua estrangeira, vemos expressões formadas com determinadas palavras que têm seus significados primário e secundário totalmente modificados. Outras, em contrapartida, não. É o caso, por exemplo, da expressão GAME OVER (FIM DE JOGO), que mantém o significado primário de GAME.

Já na expressão que dá título ao post, percebemos a palavra GAME em um contexto diferente. Se alguém pergunta se “you are game” (ou em formato de pergunta ARE YOU GAME?), a pessoa quer saber se você deseja experimentar alguma coisa, se você está interessado em fazer algo diferente e até mesmo divertido. Dê uma olhada na conversa abaixo:

Jake: So, how about playing tennis this evening: I’ve got two rackets here. ARE YOU GAME?
Lena: Oh, well, I’m not sure. I’ve not played tennis for a long time. Sorry, I DON’T THINK I AM GAME!

No caso acima, Jake convida Lena para jogar tênis, mas ela não está interessada.

Jake: E aí? Que tal jogar tênis hoje à noite: eu tenho duas raquetes aqui. VOCÊ ESTÁ INTERESSADA?
Lena: Hum, não tenho certeza. Não jogo tênis há um bom tempo. Desculpa, ACHO QUE NÃO ESTOU INTERESSADA.

Precisamos mencionar que esse ESTAR INTERESSADO EM FAZER ALGO DIFERENTE, também pode ser traduzido como ESTAR A FIM DE FAZER ALGO DIFERENTE, certo? A questão da tradução é algo bastante pessoal. 😉

Lena: I guess I’d rather have a bite to eat tonight. Why don’t we go to that new Mexican restaurant?
Jake: I’ve never eaten Mexican food! I’M TOTALLY GAME!

Lena: Acho que prefiro sair para comer alguma coisa hoje à noite. Por que não vamos àquele novo restaurante mexicano?
Jake: Nunca comi comida mexicana! TOTALMENTE INTERESSADO!

Ficamos por aqui e esperamos que “you’re all game” em ler/aprender/compartilhar nossa dica!

See ya! 😘
Alexandra S. Andrade
(Revisão Equipe #PalavrasNossas)

charles-saxon-it-s-a-little-white-wine-stuart-brought-back-from-idaho-are-you-game-new-yorker-cartoon

Anúncios

Aprendendo e Ensinando Inglês com LOL

O fato de estar em sala de aula há mais de 20 anos e sempre em busca de uma postura reflexiva em relação à minha prática, faz com que meu relacionamento com os alunos acabe se tornando próximo. Raras são as turmas (sim, isso não acontece com todas!) em que uma boa amizade não nasça. Daí você leitor pode estar se perguntando o que isso tem a ver com aprender/ensinar inglês através do uso de jogos, certo? A gente (agora vira plural) explica! Esse post vem de várias vozes! 😉

Em geral, muitos alunos (propositadamente não selecionamos faixa etária, pois a maioria das pessoas já teve contato com algum jogo eletrônico) chegam em sala com perguntas na ponta da língua (ou anotadas num caderno) sobre palavras que viram em jogos e que não conseguiram compreender, mesmo recorrendo à um dicionário ou até mesmo à um tradutor online. A questão da amizade entra aí. Nem todos os alunos sentem-se próximos o suficiente de seus professores de língua a ponto de levarem e fazerem perguntas que, na maioria das vezes, não estão relacionadas à matéria estudada em sala. Por isso, muitas vezes a pergunta vem num momento não muito apropriado (no meio de uma explicação, por exemplo) fazendo com que o professor precise utilizar todo seu conhecimento de didática aliado a muito “jogo de cintura” e sair dessa “sinuca de bico” sem causar aquela terrível sensação de mal-estar, que se instala “every now and then”* em todas as salas de aula (de língua ou não).

A proximidade com o aluno ajuda bastante nessas horas. Dependendo da pergunta, do aluno, da turma, vale até a pena pausar o que se está explicando para respondê-la. Da mesma forma, dependendo de tudo que já foi mencionado, às vezes é simplesmente melhor encerrar o assunto, retornar ao que a matéria da aula já propunha e, quem sabe, ao término da mesma, retornar à famigerada pergunta e aí respondê-la.

Alerta! Esse parágrafo é especial para os estudantes de inglês que estejam lendo esse post, certo? Não fiquem chocados com o que diremos agora, please! Mas é a pura verdade! Lá vai: nem todas as palavras (principalmente as oriundas de jogos) que você perguntar ao seu professor serão do conhecimento prévio dele/dela. Lembre-se de que seu professor NÃO é um dicionário ambulante. Outro ponto igualmente importante é que cada jogo tem seu “plot”, sua história sendo contada com personagens (na maioria das vezes fictícios) e seu vocabulário específico. A medida em que o tempo vai passando, os jogos vão evoluindo e a linguagem utilizada também. O número de jogadores acaba aumentando (quantos gamers você não conhece?) e a criação de novas palavras acaba se tornando imprescindível. Há também a utilização de palavras já conhecidas, porém em contextos diferenciados e tendo embutidas a elas significados diferentes que dependerão do contexto do jogo para serem compreendidas.

Após tanta explicação, vai a pergunta que não quer calar: pronto para aprender algum vocabulário de jogo em inglês? Como já informado no título do post, o game escolhido é o mundialmente famoso League of Legends ou como chamado por muitos, simplesmente LoL.

league (6)

Advertência! NÃO falaremos sobre todo o vocabulário existente no jogo, certo galera? Não caberia num post apenas. Com certeza, você que é jogador, pensará algo como “Mas vocês poderiam ter incluído a palavra X, a Y ou a Z”, por isso já avisamos que o vocabulário presente aqui veio de uma pequena pesquisa feita com alguns alunos que jogam LoL, que gentilmente nos passaram uma lista de palavras geralmente utilizadas de forma errada (por muitos!) e, no ponto de vista deles, por má compreensão ou até falta de conhecimento do inglês. Então vamos lá?

Para começar, falaremos de ENGAGE. Normalmente, essa palavra significa “engajar-se”, “empenhar-se”, dependendo do contexto até “comprometer-se”. Em LoL, o sentido fica próximo. O ENGAGE é usado quando a luta vai começar. Em português, a galera geralmente diz “Dá ENGAGE”, ou seja, inicie e luta! Como disse acima, o sentido fica próximo ao significado primário de “engage” porque supõe-se que o jogador, ao iniciar a luta, venha a se engajar/comprometer com a mesma, certo? Afinal, o intuito (de qualquer jogo) é ganhar, além de se divertir, claro! 😉 

Outra palavra muito usada em LoL é LANE, originalmente traduzida como pista ou faixa. No jogo, a tradução que faz mais sentido é ROTA, pois há três corredores onde ficam as torres por onde os MINIONS (não aqueles amarelinhos!) precisam passar. Por isso, as três LANES ou rotas. Essas LANES se dividem em TOP (LANE), MID (LANE) e BOT (LANE), e o termo LANE geralmente é omitido. Fica tranquilo de entender se levarmos em conta que TOP significa “de cima” ou “parte superior”; MID (além de significar “médio” ou “no meio”), também é a forma abreviada da palavra middle, que significa “meio” ou “parte central”; e BOT, a abreviação de bottom, ou seja, “de baixo” ou “parte inferior”. Resumindo:

TOP – rota de cima ou rota da parte superior;

MID – rota do meio; e

BOT – rota de baixo ou rota inferior.

Há jogadores que consideram uma outra LANE (outra ROTA), a chamada JUNGLE. Essa é traduzida conforme o português – SELVA. Então, há também (para alguns) a ROTA DA SELVA, geralmente chamada apenas de JUNGLE.

Claro, a gente tem que mencionar os MINIONS, né? A palavra MINION, ao pé da letra, quer dizer “servo”, “escravo”, alguém que obedece a ordens e que não precisa ter muita habilidade para tal (exatamente como os amarelinhos do desenho “Meu Malvado Favorito”). Já em Lol, os MINIONS são as TROPAS, que como dito acima, auxiliarão o jogador a atravessar as LANES. Em outras palavras, a função dos MINIONS (ou TROPAS) é ajudar o jogador a passar pelo TOP, MID, e BOT. Não há MINIONS (TROPAS) na JUNGLE (SELVA).

league of legends minions pic

Falando em MINIONS, aproveitamos para incluir no post, o termo FARM, até porque ele é utilizado quando eles estão em questão. Originalmente, FARM significa “fazenda”, certo? Em LoL, quando a palavra FARM é utilizada, a ideia é outra. Como assim? A gente explica! FARM significa “eliminar MINIONS (inimigos) com o intuito de ganhar ouro no jogo”. Diferente e interessante, né?

Como em qualquer jogo de batalha, há o time inimigo também. Nesse contexto, aparece em Lol a palavra BAIT, que significa ISCA. Assim como na primeira palavra apresentada aqui (lembra do “Dá ENGAGE”?), há um aportuguesamento quando BAIT é utilizada no jogo. Geralmente, o jogador diz a alguém de sua equipe: “Faz BAIT”, significando: faça uma armadilha para o time inimigo. Na pescaria, uma isca é deixada na ponta do anzol para que se pegue o peixe com maior facilidade. Essa é a ideia de “fazer BAIT” no jogo, pegar o inimigo de surpresa e mais rapidamente.

Bait

Outro ponto interessante que vemos bastante em Lol, vide o próprio nome do jogo (League of Legends – LoL), é o uso de vários acrônimos. Desde aqueles que significam algo dentro do jogo em si, até aqueles que são usados para comunicação entre os jogadores. O primeiro que veremos aqui, e avisamos desde já não se tratar de uma exclusividade de Lol, é o AFK. Acrônimo para Away From Keyboard. O AFK é muito utilizado quando a pessoa que está online precisa se ausentar por algum tempo e ficar longe do computador. Ninguém é de ferro, né gente? Emergências podem acontecer, e nesse caso, é necessário avisar aos companheiros de time (no caso de Lol), que você está AFK, LONGE DO TECLADO, especialmente porque o jogo não pode ser pausado. Um bom exemplo de quem resolve ficar AFK (LONGE DO TECLADO) por um tempo é quem enfrenta problemas de instabilidade com a Internet. A gente espera (muitíssimo) que esse não seja o caso de vocês, porque ninguém merece!

Outro acrônimo bastante interessante que você encontra em LoL é o KS, que representa Kill Steal. Em português, KS ou Kill Steal significa “roubar o abate”. Daí você que nunca jogou LoL pode se perguntar: “Hã? Roubar o abate? Wtf isso significa? ” Esse “roubar o abate” é utilizado (esperamos ser claros) quando o jogador está no processo de matar seu oponente, e quando está quase conseguindo, quase lá mesmo, vem um companheiro de time e mata o inimigo na sua frente. Essa pessoa “roubou” sua chance de abater o oponente. E o pior, o jogador perdeu tempo e marcou menos pontos. Houve um Kill StealKS – e o jogador (tadinho!) se “deu mal”.

Vamos a mais alguns acrônimos? 😉

Esses são extremamente usados entre os jogadores e nem precisam de muita explicação, pois o vocabulário é simples e de conhecimento da grande maioria. Então vamos no formato de lista:

GG – Good Game (BOM JOGO)

GG WPGood Game  Well Played (BOM JOGO  BEM JOGADO) GG WP

TPTeleport (TELETRANSPORTAR ou TELEPORTAR)

Obviamente, os dois primeiros são utilizados quando o jogo termina. O TP (TELEPORTAR) é um feitiço utilizado quando o jogador quer ser teletransportado para qualquer lugar do mapa onde haja uma unidade sua. Mesmo que não relacionado ao jogo, achamos importante mencionar que o acrônimo TP é usualmente utilizado para Toilet Paper, em português, papel higiênico, certo?

Bom, há MUITAS palavras interessantes utilizadas em LoL, e se pudéssemos, faríamos um dicionário com todos esses termos. Mas, como o tempo é curto, a gente fica por aqui e espera (muitíssimo) ter ajudado tanto aos professores (da galera que joga) quanto aos próprios jogadores (principalmente aqueles que tinham dúvidas sobre certos termos e os utilizavam de forma incorreta). Jogar vídeo game é (SIM!!!) uma ótima forma de aprimorar o vocabulário, aprender contextos novos para as palavras aprendidas, enfim, uma excelente maneira de se manter conectado ao mundo globalizado e digital em que vivemos. É também, para você que é professor, uma excelente oportunidade de se conectar aos seus alunos. 😉

Abraços carinhosos a todos!

See you soon!

Alexandra S. Andrade (Revisão Equipe #PalavrasNossas)

(Consultoria: Juliana S. Andrade e Lucas S. Andrade)

 

*every now and then – de vez em quando 😉

#Sqn (Só que não!) – Tem isso em inglês?

Sabe quando a gente diz uma coisa e no final a gente inclui o famoso “só que não”, ou mais usualmente, a hashtag “sqn” (#sqn)? Pois é. Como de costume, a dica de hoje vem de uma pergunta que surgiu há algum tempo em sala de aula.

Como dizer esse “só que não” em inglês? Há um equivalente? Há sim! Check it out!

Falemos primeiro dessa expressão em português para que não haja dúvida, ok? 😉

Na linguagem falada, geralmente utilizamos a expressão “só que não” para complementar uma frase que expressa algo improvável (às vezes até um pouco ridículo) de acontecer ou até de ser verdadeiro. A ideia é a de “brincar” (utilizando ironia e/ou sarcasmo) com a primeira frase proferida. Podemos utilizar como exemplo a segunda-feira. Em geral, a galera não é muito fã desse dia da semana, certo? Logo, ao ouvir alguém dizer “Ainda bem que amanhã é segunda-feira!… (pequena pausa)… Só que não!” a segunda frase complementa a primeira, deixando claro para o ouvinte que trata-se de uma brincadeira, ou até mesmo uma reclamação ou lamentação (quem nunca sentiu uma sensação esquisita ao ouvir a música do “Fantástico” no domingo?). Bom, tudo dependerá do contexto e da entonação do falante.
Já na linguagem escrita, principalmente na Internet, tal expressão vem sendo usada com o símbolo # (hashtag); porém, apenas as letras iniciais são utilizadas “sqn” (Só Que Não), ou seja, #sqn.

Aproveitando o exemplo da segunda-feira acima, vamos para o equivalente em inglês desse “só que não”. Dê uma olhada nos exemplos abaixo (retirados do Urban Dictionary):

Thank God it’s Monday. Said no one ever.
[Ainda bem que hoje é segunda-feira. Só que não.] ou
[Ainda bem que hoje é segunda-feira. #sqn]

wp-1453534061286.jpg

Em inglês, utilizamos a expressão “said no one ever”, que ao pé da letra significa “ninguém nunca disse isso” ou “nunca dito por alguém” quando queremos dizer o “só que não” usado em português. Vejamos mais um exemplo do Urban Dictionary abaixo:

OMG! Those Crocs look awesome, said no one ever.
[Oh, meu Deus! Aquelas sandálias Crocs são lindíssimas, só que não.]

<Nada contra as sandálias Crocs, hein, gente! O exemplo nem é nosso. Lolol… O povo gosta de implicar. Olha a “indireta” do Mr. Bean aí… 😁>

wp-1453534044581.jpg

É interessante mencionar que, em inglês, o “said no one ever” não é geralmente usado como acrônimo como em português (apenas as iniciais – sqn). O símbolo da hashtag (#) é usado junto da expressão escrita sem divisão – #Saidnooneever – isso quando a hashtag é utilizada, OK? Muitas vezes, mesmo na escrita, há preferência por utilizar a expressão de forma regular, como nos exemplos acima. But… há também quem goste da hashtag:

I never say “said no one ever”. #Saidnooneever
[Eu nunca digo “só que não”. #sqn]

E vocês? Dizem muito ou não? 😉

Till the next time! See ya!
Alexandra S. Andrade (Revisão Equipe #PalavrasNossas).

wp-1453534084524.jpg

“Eu estudo inglês como Língua Estrangeira (LE) ou como Segunda Língua (SL)”?

Hora de post novo no Palavras Nossas. Ready? 😉

O tema hoje é a diferença entre estudar inglês como Língua Estrangeira (LE) e inglês como Segunda Língua (SL).

Pode até parecer um assunto “batido”, mas ainda há uma boa quantidade de pessoas que não sabem que existe diferença entre os dois termos. Alguns utilizam ainda, de forma incorreta, um termo no lugar do outro, como se os mesmos significassem a mesma coisa.

Então, lá vai: muito CUIDADO nessa hora! Estudar inglês como LE e como SL NÃO significa A MESMA COISA!

No Brasil, por exemplo, temos como língua oficial, a língua portuguesa. Não se trata de um país onde mais de uma língua seja falada ou utilizada para comunicação escrita. Dessa forma, podemos explicar o motivo pelo qual ao estudarmos inglês no Brasil, dizemos que estudamos inglês como Língua Estrangeira (LE). Em geral, a pessoa recorre à uma escola de idiomas ou professor particular onde contrata de duas a três aulas por semana (sendo duas aulas o mais comum) e totalizando uma carga horária de duas a duas horas e trinta minutos semanais. Ou seja, o total adquirido/praticado em um mês de estudos é de no máximo 10 horas.

Pergunto-lhes: seria esse total de horas mensais suficientes para se aprender uma outra língua? Honestamente? Nem é preciso responder, certo? Basta refletirmos sobre as oportunidades REAIS que os alunos têm de praticar o que adquirem em sala quando estão fora dela. Mesmo com toda a globalização atual, ainda é reduzido o número de estudantes que têm, por exemplo,”amigos” estrangeiros para se comunicar.

Diferentemente do Canadá, que é um país bilíngue e multicultural tendo o inglês e o francês como línguas oficiais, no Brasil, ao sair às ruas e ir ao mercado, por exemplo, a língua que ouvimos e precisamos utilizar para comunicação é apenas e tão somente a língua portuguesa. Em outras palavras, as chances de se praticar, e dessa maneira adquirir a língua inglesa com maior rapidez e até certa facilidade tornam-se mais escassas. Daí chamarmos essa nova língua em fase de aprendizagem (aqui no Brasil) de Língua Estrangeira e NÃO de Segunda Língua, como no Canadá, pois a mesma não se configura como uma segunda língua oficial falada e utilizada em nosso país.

Já deu para perceber que os termos LE e SL serão utilizados de acordo com a realidade que se apresenta, certo? Daí os diferentes termos utilizados por autores em publicações específicas:
ESL (English as a Second Language);
EFL (English as a Foreign Language);
TESL (Teaching English as a Second Language) e
TEFL (Teaching English as a Foreign Language).

E aí? Alguma dúvida sobre o assunto? Agora ficou fácil, não é?

Ficamos por aqui, mas deixamos um infográfico super interessante com algumas das “verdades” ao se estudar uma LE/FL. Os créditos da imagem vão para o site: theeasiestlanguagetolearn.com

image

Esperamos que vocês tenham gostado e tenham tirado qualquer dúvida sobre o assunto!
Até a próxima! 😉
Alexandra.

Dica de Inglês – “State-of-the-art technology”

STATE-OF-THE-ART TECHNOLOGY – Já ouviu isso?

 

Vivemos em uma sociedade e em um mundo onde o fator tecnologia está cada vez mais presente em todas as direções para as quais nos dirijamos. Há ainda alguns bravos resistentes que não se permitem trocar de celular a cada ano (ou de 6 em 6 meses), ou adquirir o mais novo Tablet do mercado. São esses os chamados retrógrados ou seres anti-tecnológicos. A questão é que não há como resistir por muito tempo, pois a cada dia que passa mais aparelhos surgem, e vários vão ficando ultrapassados e obsoletos da noite para o dia.

Sempre haverá preferência por produtos que apresentem tecnologia de ponta, ou seja, o que há de mais atual, de mais novo no mercado. Como dizer isso em inglês?

 

STATE-OF-THE-ART TECHNOLOGY

[tecnologia de ponta]

Nowadays, state-of-the-art technology in cell phones is available to anyone who can afford it.

[Hoje em dia, tecnologia de ponta em celulares está disponível para qualquer um que possa pagar.] 

O termo CUTTING-EDGE TECHNOLOGY também pode ser usado no mesmo contexto.

 

Gostou da dica? Deixe-nos seu comentário! 😉

Alexandra.