Você gosta de BINGE-WATCH?

A dica de hoje vem, como na maioria das vezes, da pergunta de um aluno em sala de aula que aconteceu bem no finalzinho do semestre passado. A pergunta foi a seguinte: “O que significa BINGE-WATCHING?”

Comecemos então, por BINGE. Você sabe o que isso quer dizer?

De acordo com o Longman Dictionary of Contemporary English, como substantivo, BINGE significa “um curto período de tempo em que você faz uma mesma atividade repetidas vezes, como comer, beber ou fazer compras”.

It’s been a week-long BINGE of shopping.

[Foi uma longa semana numa maratona de compras.]

Embora alguns dicionários e pessoas traduzam BINGE como “farra”, preferimos utilizar o termo “maratona”, até pelo significado que veremos em BINGE-WATCH.

bingewatch_banner-1600x720-1600x720

Deem uma olhada no seguinte exemplo (retirado do Urban Dictionary):

I felt like hell all day because I was up till 4:00 binge-watching season 2 of “Dexter”.

Todo fã de Dexter vai concordar que essa é aquela série que quando se começa a assistir, é muito difícil (pra não dizer impossível) de se parar, certo? Daí o surgimento de BINGE-WATCHING, ou seja, quando a pessoa leva certo período de tempo assistindo à alguma coisa na TV, sem parar, como se estivesse realmente participando de uma maratona. Daí a tradução “fazer maratona”, locução verbal muito utilizada hoje em dia.

[Eu me senti um lixo o dia inteiro porque fiquei acordado até às 4:00 FAZENDO MARATONA da segunda temporada de “Dexter”.]

b8d1147a-3e8e-4e47-8f7e-45c854c36121_560_420

Há até aqueles que prefiram BINGE-WATCH ou FAZER MARATONA (geralmente de séries) do que assistir às séries em ritmo normal, ou seja, um episódio por semana. E hoje, com os serviços de streaming (cada vez em maior quantidade e qualidade) e a Netflix facilitando a vida dos chamados “seriadores” (aquela galera antenada em tudo quanto é série), a gente até entende os motivos para BINGE-WATCH, né não? E convenhamos, não precisa ser “seriador” para BINGE-WATCH séries como “Sherlock”, “Breaking Bad”, “House of Cards”, e por aí vai…netflix-meme

Por isso, a gente termina a dica de hoje com uma pergunta:

What about you? Have you ever BINGE-WATCHED?

[E você? Já FEZ MARATONA (de séries)?]

 

*Curiosidades*

☆BINGE-WATCH foi selecionada “Word of the Year” (Palavra do Ano) por Oxford Dictionaries em 2013 e pelo Collins Dictionary em 2015.

☆ Há outros termos que têm o mesmo significado de BINGE-WATCHING, como BINGE-VIEWING e MARATHON-VIEWING; porém, o primeiro é o mais utilizado.

See you, guys! 😉

Alexandra S. Andrade (revisão Equipe #PalavrasNossas).

Anúncios

Dica de Inglês – “Um pé no saco”

“Um pé no saco” em inglês

Você sabe como dizer “ser um pé no saco” em inglês? Antes disso, você sabe o que essa expressão significa? Vejamos!

Utiliza-se tal expressão para denotar situações ou pessoas que sejam chatas, enfadonhas. Veja os exemplos:

 

BE A PAIN IN THE NECK/ASS

[“ser um pé no saco”]

Watching “Domingão do Faustão” on Sunday is a pain in the ass.

Assistir “Domingão do Faustão” no domingo é um pé no saco.

Getting up early when you’re on vacation is a pain in the neck.

Acordar cedo quando se está de férias é um pé no saco.

Note que, do português para o inglês, a região do corpo mudou de saco para pescoço (neck) ou bunda (ass) – com conotação mais ofensiva, claro.

Você tem exemplo(s) de pessoas e/ou situações que sejam “a pain in the ass”? Comente! 😉

See you next time!

Alexandra.

Letra e Música

ADELE (“Setting Fire to the Rain…”)

Ahoy, pessoal!

 

Nosso post de Letra e Música desse mês fala sobre uma cantora que superou todas as expectativas no ano de 2011 (e inclusive entrou para o Guinness) – Adele! 😀

 

O segundo álbum da  cantora britânica, “21”, foi um dos mais aclamados de todos os tempos: vencedor do Grammy de melhor álbum do ano em 2012, “21” já vendeu mais de 13 milhões de cópias pelo mundo; permaneceu 18 semanas no topo das paradas britânicas e já ficou no topo em mais de 20 países. Foi ainda o álbum mais baixado pela Internet no Reino Unido e certificado 14 vezes como disco de platina, ultrapassando “Back To Black” de Amy Winehouse, tornando-se o disco mais vendido do século XXI. Não há dúvidas de que seja uma obra prima do mundo musical.

 

“21” conta com a produção de Rick Rubin (o mesmo de “Californication” do Red Hot Chili Peppers e “Wandering Spirit” de Mick Jagger). Além de conter os maiores hits da cantora: “Rolling In The Deep” e “Someone like You”,  o álbum e Adele surpreendem ainda com um cover de “Lovesong” da banda The Cure.

 

Para quem já ouviu ambos os álbuns, pode-se notar certo distanciamento no estilo musical de “21” e seu antecessor, “19”. Segundo a cantora, tal fato deve-se às muitas influências musicais sofridas por ela durante sua turnê pela América do Norte em 2009. Dentre os artistas citados por Adele como “geradores de sua transformação” encontram-se Lady Antebellum, Kanye West e Mary J. Blige.

 

Como todos já sabem, “21” fala sobre as mudanças na vida de Adele e conta a história do difícil término de seu primeiro relacionamento “sério”, segundo a mesma. As letras das músicas, todas de sua própria autoria, falam sobre algumas fases vivenciadas por ela: do doloroso (re)início de vida como solteira, até a aceitação do fato de seu ex estar em outro relacionamento, fato que denota o real “fim” entre eles, a total ausência de um possível retorno. O primeiro single, “Rolling In The Deep”, foi escrito enquanto Adele sentia-se, como afirmado por ela: “vingativa”. Já o segundo single, “Someone Like You”, foi escrito, ainda segundo Adele, após um período de amadurecimento, quando admite o quão importante foi esse relacionamento e o quanto o mesmo mudou sua vida.

 

Relacionamentos a parte, e após uma cirurgia na garganta que a afastou dos palcos por dois meses, Adele arrematou nada mais nada menos do que 6 Grammy Awards (todos aos quais havia sido indicada): Gravação do ano (“Rolling in the Deep”); Álbum do ano (“21”); Música do ano (“Rolling in the Deep”); Performance solo pop (“Someone Like You”); Álbum pop (“21”); e Melhor vídeo musical (também para “Rolling in the Deep”). Ela está, segundo fãs mais apaixonados, melhor do que nunca.

Mas a vida não é feita só de prêmios, e como diriam alguns “a fila anda” e andou para Adele também. Depois de sofrer por amor e desabafar sua tristeza em músicas que encantam a todos, a cantora vem experimentando um novo romance. Ela é só carinhos com o novo namorado, Simon Konecki, que vem sendo clicado ao seu lado onde quer que a loira se encontre.

 

E agora, galera? Será que Adele precisa de uma boa “dor de cotovelo” para compor músicas como “Someone Like You” ou seu atual estado de espírito nos renderá canções ainda mais belas? As opiniões são várias. Como bons fãs que somos, torcemos para que ela seja feliz, afinal de contas, Adele PODE, né?

LETRA e #DICA PARA OS PROFESSORES BLOGUEIROS (e de plantão):

Além de ser belíssima, a canção “Set Fire to the Rain” apresenta vários verbos no passado (“Simple Past” – regular e irregular). Quando trabalhei essa música/texto com meus alunos, transformei a canção em um exercício simples de conjugação de verbos (os que estão em parênteses). Eles, claro, gostaram bastante, pois não é todo dia que um exercício, supostamente ordinário, se transforma em um hit da Adele. 😉 Hope you like it!

Set Fire To The Rain

I let it fall, my heart

And as it _____________________ (to fall), you rose to claim it

It _______________ (to be) dark and I was over

Until you _____________________ (to kiss) my lips and you ____________________ (to save) me

 

My hands they _________________ (to be) strong

But my knees _________________ (to be) far too weak

To stand in your arms

Without falling to your feet

 

But there’s a side, to you, that I never ______________________ (to know), never ______________________ (to know)

All the things you’d say, they were never true, never true

And the games you’d play, you would always win, always win

 

But I set fire to the rain

______________________ (to watch) it pour as I touched your face

Well, it ______________________ (to burn) while I cried

‘Cause I heard it screaming out your name, your name!

 

When I lay, with you

I could stay there, close my eyes

Feel you here forever

You and me together, nothing is better!

 

Cause there’s a side, to you, that I never ______________________ (to know), never ______________________ (to know)

All the things you’d say, they were never true, never true

And the games you’d play, you would always win, always win

 

But I set fire to the rain

______________________ (to watch) it pour as I ______________________ (to touch) your face

Well, it burned while I _________________ (to cry)

‘Cause I ____________________ (to hear) it screaming out your name, your name!

 

I set fire to the rain

And I threw us into the flames

Well, it felt something ___________________ (to die)

Cause I knew that that was the last time, the last time!

 

Sometimes I wake up by the door

That heart you
________________________ (to catch)  must be waiting for ya…

Even now when we’re already over

I can’t help myself from looking for ya

 

I set fire to the rain

Watched it pour as I touched your face

Well, it burned while I cried

‘Cause I heard it screaming out your name, your name!

 

I set fire to the rain

And I _____________________ (to throw) us into the flames

Well, it felt something died,

‘Cause I knew that that was the last time, the last time!

 

Oh oh oh oh oh…

 

Let it burn…

 

(Adele)

Dica de Inglês – Expressões Idiomáticas (IDIOMS)

Nosso Post começa com uma pergunta para vocês leitores:

Quem já passou pela situação abaixo (ou por uma bem semelhante)?

Um aluno, durante a aula de inglês, vai até o professor e pergunta: “Teacher, o que significa ‘NAME THE DAY’? O professor pergunta sobre o contexto, pois lhe parece ser uma expressão idiomática. O aluno diz que tais palavras “fazem parte de uma música” que ele não lembra o nome, apenas o cantor. O professor então diz que vai checar a “expressão” no dicionário para ter certeza do significado e que lhe responderá na aula seguinte. O aluno agradece, mas ao retornar ao seu lugar comenta com um colega “Ele não sabe!”.

Você (aluno) já passou por isso? E você professor? 

Acreditamos que todos que participam ou participaram de um ambiente de ensino/aprendizagem de línguas já passaram, em algum momento, por uma situação semelhante à essa. “NAME THE DAY” é uma expressão idiomática ou como chamada em inglês, um IDIOM ou IDIOMATIC EXPRESSION. Seu significado é: marcar a data do casamento. Veja o exemplo:

Have you already named the day?

(Vocês já marcaram a data do casamento?)

Muito provavelmente, ao responder ao aluno sobre a expressão na aula seguinte, o professor ouvirá algo do tipo: “Mas casamento não é wedding?” ou “Mas day significa ‘dia’, não é?” Esse é o problema com as expressões idiomáticas. Não se pode traduzi-las ao pé da letra, pois não farão sentido algum.

Idioms ou Idiomatic Expressions (Expressões Idiomáticas) são aquelas expressões que ao serem traduzidas literalmente (palavra por palavra) não fazem sentido. É preciso conhecê-las para saber qual(ais) expressão(ões) em português terá(ão) um sentido semelhante ao sentido em inglês. Outro exemplo é a expressão KICK THE BUCKET. Ao traduzi-la ao pé da letra, tem-se “chutar o balde”; porém, KICK THE BUCKET significa “bater as botas” (ou seja, morrer).

 Veja no exemplo:

His sister kicked the bucket last month.

(A irmã dele bateu as botas no mês passado.)

Bom, o intuito desse Post é mostrar que as expressões idiomáticas são extremamente importantes para aqueles que estão aprendendo inglês como LE e importam-se em falar fluentemente, pois elas são amplamente utilizadas pelos nativos da língua. Cabe dizer também, que as chances de você aprender todos os IDIOMS existentes em inglês são muito pequenas. Daí a necessidade de estar sempre lendo e estudando sobre tais expressões. Viram o porquê de termos essa página de Dicas de Inglês em nosso Blog? Esperamos que vocês tenham gostado da dica! 😉

Alexandra & Strawberrybells.

* Para você que é aluno, fica a dica: seu professor não é um dicionário ambulante! Ele/Ela, com certeza, não conhecerá todas as palavras e/ou expressões que você levará para a sala de aula. Assim como você também não conhece todas as palavras de sua própria língua – o português, certo? Então, “be nice!”

Dicas de Inglês

HELLO, EVERYBODY!

Nessa página, você encontrará dicas sobre o ensino/aprendizagem de inglês como Língua Estrangeira (LE).  Incluiremos diversos assuntos, tais como: os diferentes métodos e abordagens de ensino; as novas Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC); o “tão odiado” (porém necessário) ensino de gramática; as diversas estratégias de leitura, que tanto auxiliam os vestibulandos; and so on…

Se você é aluno de inglês, tanto no colégio ou em escola de idiomas, certamente você descobrirá coisas realmente interessantes por aqui. Quer um exemplo? Vocabulário. Mas vocabulário daquele que você provavelmente não aprenderia em nenhuma das instituições acima, e que ainda assim é bastante utilizado no dia a dia. Você pode estar se perguntando: “Como assim?” Respondemos com uma pergunta: Você sabe como dizer “DAR A VOLTA POR CIMA” em inglês? E “NA HORA H”? Que tal o provérbio “DEUS AJUDA QUEM CEDO MADRUGA”? Pois é. É esse tipo de vocabulário que incluiremos aqui. Legal, não é?

Se você é professor de inglês,  esperamos deixar dicas valiosas sobre fatos culturais, expressões idiomáticas, “phrasal verbs”, provérbios e ditados populares, e até uma seção especial de #VocabulárioDeSéries, que claro, agrada a maioria de nossos alunos! Não poderíamos deixar canções de fora, não é mesmo? Afinal de contas, todo aluno adora uma “musiquinha” na aula de inglês. Porém, nossas dicas de letras de músicas virão sempre acompanhadas de atividades pedagógicas que possam, de alguma forma, ser encaixadas à certos conteúdos programáticos, além da tradução. Esperamos que nossas ideias possam ser somadas às ideias de vocês tornando as aulas mais criativas e dinâmicas.

Sintam-se à vontade em perguntar, tirar dúvidas, comentar, e claro,

ENJOY!!!

Alexandra e Strawberrybells.